Prevenção ao Câncer de Pele

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

A Fundação do Câncer alerta sobre a prevenção do câncer de pele na campanha Dezembro Laranja, que tem como slogan “Faça da sua prevenção um hábito”.

 

O câncer de pele  é provocado pelo crescimento anormal das células que compõem a pele. Existem diferentes tipos de câncer da pele que podem se manifestar de formas distintas, sendo os mais comuns denominados carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular – chamados de câncer não melanoma – e que apresentam altos percentuais de cura se diagnosticados e tratados precocemente. Um terceiro tipo, o melanoma, apesar de não ser o mais incidente, é o mais agressivo e potencialmente letal. Quando descoberta no início, a doença tem mais de 90% de chance de cura.

 

Saiba mais sobre os tipos de câncer de pele mais comuns:

Carcinoma basocelular– É o câncer de pele mais frequente na população, correspondendo a cerca de 70% dos casos. Se manifestam por lesões elevadas peroladas, brilhantes ou escurecidas que crescem lentamente e sangram com facilidade.

 

Carcinoma espinocelular – É o segundo tipo de câncer de pele de maior incidência no ser humano. Ele equivale a mais ou menos 20% dos casos da doença. É caracterizado por lesões verrucosas ou feridas que não cicatrizam depois de seis semanas. Geralmente causam dor e possuem sangramentos.

 

Câncer de pele melanoma – Apesar de corresponder apenas cerca de 10% dos casos, é o mais grave pois pode provocar metástase rapidamente – espalhamento do tumor para outros órgãos do corpo humano – e levar à morte. É conhecido pintas ou manchas escuras que crescem e mudam de cor e formato rápido. As lesões também podem vir acompanhadas de sangramento.

 

Prevenção

A campanha destaca a importância de se evitar ao máximo a exposição aos raios ultravioletas intensos, que ocorrem entre 10h e 16h; usar sempre protetor solar nas áreas expostas, independente de ir à praia. Outra coisa é que, se você vai se expor ao sol, procure sempre usar também protetores físicos, como boné, chapéu, roupas de proteção UV, óculos escuros, sombrinha, guarda-sol e ficar o máximo de tempo na sombra.

 

Muitas pessoas acreditam que os raios UV das câmaras de bronzeamento são inofensivos, mas isso não é uma verdade. As lâmpadas de bronzeamento que fornecem os raios ultravioleta podem, a longo prazo, provocar danos à pele e ainda contribuir para o desenvolvimento de um câncer de pele.

 

Verificar a pele regularmente permite a detecção de pintas novas ou irregulares ou outras alterações. Mostre qualquer mudança na pele que encontrar ao seu médico para fazer o diagnóstico e eventualmente o tratamento da lesão. Certos tipos de pintas apresentam um risco aumentado de desenvolver um melanoma. Se você tem pintas, dependendo da forma o seu médico poderá querer acompanhá-la com exames regulares ou mesmo removê-las, se suas características sugerem que possam se transformar em um melanoma.

 

Aumente sua imunidade, pois ter um sistema imunológico enfraquecido aumenta o risco de contrair melanoma e outros tipos de câncer de pele. A infecção pelo HIV pode enfraquecer o sistema imunológico. Evitar os fatores de risco conhecidos para a infecção pelo HIV, como o uso de drogas intravenosas e relações sexuais desprotegidas com muitos parceiros.

 

Nota da redação: Cuide bem da sua saúde. Previna-se contra todos os tipos de doença.

Vivemos um momento em que nos focamos muito na prevenção quanto ao Covid-19, porém há muitas doenças que ficam silenciosas por muito tempo. Preste atenção no seu corpo!

 

Fonte: Agência Brasil, www.sbd.org.br e Instituto Oncoguia

Compartilhar:

Leia Também