Saint Germain: o conde ascensionado

quinta-feira, 19 de março de 2020

O mestre Saint Germain tem os seus primeiros registros aqui na Terra datados mais ou menos no século XVIII, período em que começou a frequentar a corte francesa e era reconhecido como um conde. Conheça mais sobre este grande mestre no vídeo abaixo ou continue lendo este artigo.

 

Saint Germain

 

Existe dois Saint Germain: um deles é o histórico e o outro esotérico. Aqui, falaremos um pouco sobre os dois.

 

Saint Germain histórico x Saint Germain esotérico

 

Saint Germain como um conde era um grande frequentador da corte francesa, dos bailes e dos jantares (embora ninguém nunca tenha o visto comendo em público). Dizem que mantinha uma dieta à base de farinha de aveia.

 

Ele se intitulava alquimista. Ou seja, ele era contratado pelos reis, pelos poderosos, para muitas vezes tratar um diamante quebrado, restaurar joias da realeza. Fazia coisas que as pessoas diziam ser impossível, como tomar um diamante todo quebrado e restaurá-lo de uma forma perfeita, como se nunca tivesse acontecido nada.

 

O Mestre Germain era uma pessoa de muitos segredos, uma vez que era um grande iniciado, afinal, não podia revelar naquela época quem ele era e os poderes que tinha. Ele fazia um trabalho silencioso, anônimo, a fim de ajudar a humanidade a evoluir.

 

Naquela época, o quinto chacra da humanidade estava se abrindo e Saint Germain ajudou a ditar os próximos passos evolutivos. Era um exímio violinista, pintor e costureiro. Em muitos escritos e relatos, diziam que ele tinha uma técnica específica de tingir roupa. Em outras palavras, Germain fazia muitas coisas.

 

Os alquimistas antigos usavam a alquimia para transformar objetos que não tinham valor comercial em diamantes. E falam principalmente da maior alquimia que existe, que é a de transformar os nossos sentimentos densos, as nossas inferioridades, os nossos medos e as nossas tristezas em coisas boas. Ou seja, transformar as nossas emoções internas é uma espécie de alquimia, e todos nós temos condição de praticar isso.

 

A história da condessa e a longevidade de Saint Germain

 

Uma condessa encontrou o mestre Saint Germain em uma festa em 1710. Dançaram, fizeram amizade e não se viram mais. Isso porque, como Saint Germain viveu mais de 300 anos – pelo que se tem relato – de vez em quando, ele desaparecia em um lugar e aparecia em outro. Ou então, muitas vezes, fingia a própria morte para poder ir a outros lugares.

 

Ele sempre manteve uma aparência de 45 anos de idade, isso porque ele fazia uma alquimia interna tão grande que ele não envelhecia. Cinquenta anos depois da festa, a condessa já estava com uma idade bem avançada, e Saint Germain a encontrou novamente numa outra festa.

 

Ao falar com ele, a condessa achava que tinha dançado com o pai ou o avô dele há 50 anos. E Saint Germain disse que não, que era ele mesmo. Disse, inclusive, qual era a roupa que ela vestia na ocasião.

 

O grande ensinamento de Saint Germain

 

O grande ensinamento de Saint Germain é realmente nos mostrar que a espiritualidade é vivida no dia a dia. A cada ato, emoção, pensamento, sentimento, a gente deve ter a capacidade de viver em concordância com a mente de Deus, de viver nesse alinhamento da nossa mente com a mente de Deus, o nosso espírito com o Dele. Quanto mais investirmos nisso, mais equilíbrio teremos.

 

Saint Germain é o chohan, o grande diretor do sétimo raio cósmico da man.ifestação. Trouxe para o mundo a técnica da chama violeta, nos aconselhando a usarmos essa chama para transmutarmos todas as nossas densidades em bênçãos.

 

Conte com o apoio de desse Mestre para suas horas de conturbação. Comente abaixo se você já teve alguma experiência com a chama violeta. Muita luz para você!

 

Por: Patrícia Cândido e Redação Luz da Serra

 

Compartilhar:

Leia Também