Tédio, ansiedade e mais: como lidar com os efeitos do isolamento social?

segunda-feira, 17 de agosto de 2020

 

Especialistas dão dicas para enfrentar o momento e mostram que o isolamento pode, sim, ser positivo

 

 

Estamos vivendo uma situação nova e atípica. Diante do avanço no número de pessoas com Covid-19, a recomendação é ficar o máximo de tempo possível em casa e adotar o chamado “ isolamento social ” . Sabemos a importância disso para a saúde de todos, porém, é impossível negar as dificuldades que esse momento apresenta.

 

 

O isolamento social pode levar ao excesso de informação, o que aumenta a ansiedade e o estresse

 

 

Segundo o psicoterapeuta Wimer Bottura, presidente da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática-ABMP e membro do grupo de professores da cadeira de Psicologia Médica da FMUSP, a incerteza, ansiedade e o tédio são um fato em meio ao que estamos vivendo.

 

 

Esses sentimentos são ainda mais fortes ao abrir as redes sociais e o WhatsApp e se deparar com um bombardeio de notícias (nem sempre verdadeiras) sobre o avanço do  coronavírus . “Essas informações vão alimentando um temor exagerado e as pessoas podem sair do eixo”, comenta.

 

 

E quanto mais notícia nós lemos sobre o assunto, mais informações nós buscamos. De acordo com o psicoterapeuta, é uma “retroalimentação” nada positiva, já que acabamos entrando em uma série de pensamentos negativos que nos deixam ainda pior.

 

 

Além do temor, Luiz Scocca, psiquiatra pelo Hospital das Clínicas da USP e membro da Associação Americana de Psiquiatria (APA), acrescenta que a ansiedade pode aumentar.

 

 

“As pessoas ficam mais ansiosas e estressadas, o que leva à liberação de cortisol e diminui o sistema imunológico. De repente, uma pessoa que nem estava no grupo de risco [da Covid-19] passa a estar”, fala.

 

 

Como lidar com tudo isso?

 

 

 

Ficar longe das notícias e fazer atividades prazerosas, como a leitura, são formas de driblar o tédio e a ansiedade durante o isolamento social

 

 

A notícia boa é que existem diversas formas de driblar o tédio, o medo e a ansiedade para deixar esse período de quarentena mais fácil e confortável. Ao Delas , os especialistas dão algumas dicas de como fazer isso:

 

 

  • Reserve um tempo para as notícias

 

Como Bottura e Scocca explicam, o excesso de informações é prejudicial à saúde. Então, que tal reservar um tempo do dia só para isso? Depois, filtre o que recebe nas redes sociais. Além disso, dê prioridade às fontes oficiais para não cair em conteúdos alarmistas.

 

 

  • Converse sobre outros assuntos

 

Seja em casa com as pessoas que moram com você ou nos grupos de WhatsApp, é fundamental conversar sobre outros assuntos. Compartilhe notícias e experiências positivas, fale sobre interesses em comum e temas que fujam de coronavírus.

 

 

  • Tenha atividades de lazer

 

Leia bons livros, assista séries e outras atividades que te proporcione momentos de lazer mesmo em casa. É fundamental desconectar do trabalho e das notícias negativas para manter a saúde mental.

 

 

  • Retome contatos

 

Você não pode sair de casa, mas pode fazer uma chamada de vídeo. Por que não retomar o contato com aquela amiga que não vê há um tempo? Aproveite o isolamento para estreitar laços e retomar contatos.

 

 

  • Medite

 

meditação é uma prática para relaxar se conectar com si mesmo. É uma ótima técnica para o momento que estamos vivendo. Se você nunca praticou, existem várias meditações guiadas em sites como YouTube. Procure!

 

 

Vale lembrar que, se ainda assim estiver muito difícil, é interessante buscar ajuda profissional. Muitos médicos e psicólogos estão adaptando a sessão para o atendimento online. Não hesite em buscar ajuda!

 

 

O lado bom 

 

 

 

Segundo os especialistas, esse pode ser um bom momento para se conectar com si mesma

 

 

Sim, existe lado bom em tudo isso! Se você divide a casa com a família ou amigos, Bottura comenta que o convívio intenso pode ser muito positivo: “Pode trazer momentos de grandes afetividades e descobertas de relações”, fala.

 

 

Se for o caso de morar sozinho, o psicoterapeuta fala que é uma boa oportunidade para “se aprofundar em si mesmo”. Para isso, as atividades que os especialistas sugerem, como a meditação, são ótimas ferramentas.

 

 

Luiz Scocca ainda acrescenta que é uma boa hora para retomar hábitos simples que talvez tenhamos perdido com o tempo, como ler um bom livro, conversar mais com a família etc. O psiquiatra finaliza dizendo que será um bom momento para apresentar novos hábitos e aprender a lidar com a ansiedade.

 

 

Vamos aproveitar a oportunidade e tirar algo positivo da situação?

 

 

 

Por: Claudia Ratti 

 

 

 

Fonte: undefined – iG @ https://delas.ig.com.br/comportamento/2020-03-20/tedio-ansiedade-e-mais-como-lidar-com-os-efeitos-do-isolamento-social.html

 

Compartilhar:

Leia Também